Cuidado com o glutamato monossódico

Por João Marcos Rainho*

 

gms

O Glutamato monossódico (MSG) é uma substância que realça o sabor dos alimentos e é muito utilizada na indústria alimentícia além de ser vendido como tempero com o nome Ajinomoto, na sua condição pura, ou como composição misturado com outros ingredientes nas marcas Kitano, Arisco, Caldo Magi, Caldo Knorr, Sazon, e outros. Está presente ainda em quase tudo que se consome industrialmente, de sopas, molho de soja, carnes a sorvetes.  Nesta época de comidas insossa e sem sabor, o MSG ajuda a conquistar o gosto dos fregueses de forma artificial em troca de perigos para sua saúde. Como acontece com outros produtos, o MSG é considerado seguro pela indústria e governos, mas esta sendo questionado por pesquisadores que não usam a ciência como soldo de interesses econômicos e há suspeita de ligação com o câncer de estômago, além de enxaquecas, asma, taquicardia e depressão.

glutamato

Não se engane. Há muita informação e contra-informação na internet e nos meios e comunicação. Assessorias de marketing e comunicação, agências de propaganda e lobistas ligados a indústria desse produto fazem ampla campanha de desinformação e operação abafa a respeito dos riscos da substância. Mas as pesquisas sérias que alertam sobre os seus perigos só crescem em todo o mundo, como a do dr. Russel Blaylock (que o associa a  piora de dificuldade na aprendizagem e o surgimento da doença de Alzheimer, doença de Parkinson e esclerose lateral amiotrófica – também conhecida pelo nome de doença de Lou Gehrig e que degenera o sistema nervoso, causando uma paralisia motora progressiva e irreversível).

O MSG está identificado também com a chamada Síndrome do Restaurante Chinês – reação que inclui fraqueza nos braços e tonturas registrados por consumidores de alimentos asiáticos 30 minutos depois das refeições.

O Glutamato é composto de  78% de ácido glutâmico livre, 21% de sódio e até 1% de contaminantes.  Seu inventor foi Kikunae Ikeda, um japonês que identificou a substância natural que incrementava o sabor, provinda da alga marinha. Ele e seu parceiro criaram a Ajinomoto, que é hoje o maior produtor deste produto.

Apesar da indústria alimentícia negar os males do MSG, ela – como faz com outras substâncias tóxicas – esconde esse ingrediente no rótulo ou utiliza nomes diferentes para confundir quem deseja ter o direito a informação. Conheça algumas denominações que sempre contém glutamato monossódico: Autolyzed Yeast (Extrato de levedura), Calcium Caseinate (Caseinato de calcio), Gelatin (Gelatina), Glutamate/Glutamic Acid (Ácido glutâmico), Hydrolyzed Protein, Monopotassium Glutamate ( Glutamato monopotássico), Monosodium Glutamate (Glutamato monossódico), Sodium Caseinate (Caseinato de sódio),Textured Protein, Yeast Extract (Extrato de levedura), Yeast Nutrient. O equivalente maléfico doce do glutamato é o aspartame, encontrado em produtos diet, light, e similares.

Fabricantes de MSG vendem o produto no atacado para restaurantes, inclusive os que se intitulam “naturais”. Portanto, tenha cuidado e exija informação no comércio.

 

*João Marcos Rainho é jornalista e diretor da Agência Publisher de Notícias.

 

1 comentário em “Cuidado com o glutamato monossódico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *